Manuel Cajuda, Toni e o seu filho, António Oliveira, foram os cabeças de cartaz do início da tarde de sábado do Portalegre Sports Meeting

Manuel Cajuda, Toni e o seu filho, António Oliveira, foram os cabeças de cartaz do início da tarde de sábado do Portalegre Sports Meeting.

Entre partilha de conhecimentos e experiências, foram várias as histórias que preencheram a plateia de lições de humildade e humanismo.

Manuel Cajuda falou das suas passagens pelo estrangeiro.

“Quando estive na Tailândia, o presidente do clube dizia-me que tinha contratado um treinador novo. Eu não conseguia perceber, e dizia-lhe que sabia bem a minha idade e novo não era. Foi quando me surpreendeu e me disse que ele contratou a minha cabeça e as minhas ideias, e nisso eu era muito novo”.

Toni, por seu lado, falou de Zinedine Zidane, que foi seu jogador no Bordéus. “Era, tecnicamente, muito acima dos outros, mas apenas quando foi para Itália ganhou a capacidade física e cultura tática que o fez chegar onde chegou. Mas desde cedo se percebeu que iria lá chegar.”

António Oliveira, treinador e atual comentador do canal 11, que acompanhou o pai tanto no Irão como agora no Kuwait, ao serviço do Kazma como treinador principal, falou das diferenças dos países por onde passou.

“Quando saí do Irão tinha uma média de 40 a 50 mil espetadores, e por vezes 80 mil e até 100 mil quando jogava em Teerão, e quando chegou ao Kuwait, no primeiro jogo tinha 32 espetadores, e 11 deles eram do staff".

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos